Aê meu pai quilombo, eu também sou quilombola

2012 – Daisy Damasceno Araújo

Neste trabalho, Daisy Damasceno analisa o processo de reconstrução identitária operada pela comunidade do Rio Grande, nas proximidades do município de Bequimão, a partir da mobilização do conceito de ‘remanescentes de quilombos’ e das estratégias utilizadas para obter o reconhecimento junto à Fundação Cultural Palmares. “A disputa conceitual em torno da categoria ‘quilombo’ expressa o deslocamento de uma categoria que, antes negada, passa a ser reapropriada no processo de luta por reconhecimento’.